Modelos Baseados em Agentes na Sintaxe Espacial

Na Sintaxe Espacial, o Modelo Baseado em Agentes (Agent-Based Model – ABM, em inglês) é um modelo que busca simular o comportamento de movimento das pessoas, com base nas propriedades configuracionais e de visibilidade de um determinado espaço. Nesse post, será feita uma breve descrição do modelo, sua aplicabilidade e um breve tutorial de como realizar a simulação no software DepthmapX. Continue Lendo “Modelos Baseados em Agentes na Sintaxe Espacial”

Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 2: Modelagem e Cálculo de Medidas

Nesse post será mostrado um tutorial sobre como modelar e calcular as medidas das Isovistas e Análise de Grafos de Visibilidade. Continue Lendo “Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 2: Modelagem e Cálculo de Medidas”

Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 1: Conceitos, Medidas e Aplicações

No início do Século XXI, a Teoria da Sintaxe Espacial passou por uma série de revisões metodológicas, com a criação de novas ferramentas de análises espaciais. Nesse post serão apresentados os principais conceitos e aplicações de duas dessas novas metodologias: as Isovistas e a Análise de Grafos de Visibilidade. Continue Lendo “Análise de Isovistas e Grafos de Visibilidade, Parte 1: Conceitos, Medidas e Aplicações”

Como Estudar a Vida Pública: Técnicas de Análise

No livro How to Study Public Life (Como Estudar a Vida Pública, em tradução livre), os autores Jan Gehl e Birgitte Svarre mostram a história dos estudos sobre interações sociais, métodos e técnicas para melhorar a vitalidade dos espaços públicos e atrair mais pessoas a usa-los, mostrando a importância desta vitalidade para o planejamento urbano. O capítulo 3 do livro trata das ferramentas para análise dessas interações sociais. Continue Lendo “Como Estudar a Vida Pública: Técnicas de Análise”

Mobilidade Urbana Ativa: 7 Benefícios para as Cidades

No Século XXI viu-se uma mudança de paradigma no que diz respeito às formas de deslocamento na cidade. O automóvel, tido por muitas décadas como única solução de mobilidade urbana, passou a ser substituído por alternativas ditas mais sustentáveis. Nesse rol de opções, a mobilidade urbana não motorizada, compreendida pelo andar a pé e de bicicleta, ocupa posição importante nas pesquisas e ações no planejamento dos transportes urbanos, como também um dos itens principais norteadores da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Continue Lendo “Mobilidade Urbana Ativa: 7 Benefícios para as Cidades”

Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 4: Analisando Dados Sintáticos em Ambiente SIG

Nesse post vou mostrar como analisar os dados e fazer mapas sintáticos em ambiente SIG (Sistemas de Informação Geográfica). Continue Lendo “Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 4: Analisando Dados Sintáticos em Ambiente SIG”

Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 3: Calculando Medidas Sintáticas

Por Alexandre Castro

Na parte 2 sobre a Análise Angular de Segmentos, mostrou-se como modelar mapas sintáticos de três formas diferentes (Mapa Axial, RCL Simplificado e RCL derivado do OpenStreet Map). Neste post será mostrado como calcular as medidas de Sintaxe Espacial no DepthmapX. Continue Lendo “Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 3: Calculando Medidas Sintáticas”

Qualidade do Transporte Público [Parte 3]

Voltando com a série de postagens sobre qualidade do transporte público, trago a terceira parte. Depois de uma breve introdução e de uma discussão sobre as características que afetam a qualidade, desta vez o assunto são os atributos da qualidade. Deveria ser a última parte, mas, para manter o tamanho médio das postagens até aqui, optei por dividir e estender esta série mais um pouco. A intenção continua sendo a divulgação científica, ou seja, procuro escrever de maneira que mesmo leitores não habituados com o assunto possam entender. Sugestões/críticas são sempre bem-vindas. Continue Lendo “Qualidade do Transporte Público [Parte 3]”

Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 2: Modelando um Mapa Sintático

Na parte 1 sobre a Análise Angular de Segmentos, mostrou-se o que é o método, sua diferença para a análise axial e as principais medidas utilizadas. Nesse segundo post, será mostrado como modelar um mapa sintático. Continue Lendo “Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 2: Modelando um Mapa Sintático”

Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 1: Conceitos e Medidas

“Depthmap can do axial analysis, but you don’t need it. Segment analysis is similar, but more powerful and can do more things.” (HILLIER, 2008, p.1)

Este é o primeiro de uma série de postagens sobre a Teoria da Sintaxe Espacial, tratando especificamente sobre a Análise Angular de Segmentos. O objetivo é mostrar o que é o método, suas diferenças, vantagens e desvantagens da Análise de Segmentos em relação à análise axial, bem como as medidas utilizadas. A frase no começo do post, apesar de excluir o valor dos mapas axiais na Sintaxe Espacial (o que não concordo), reflete a mudança que a Análise Angular de Segmentos causou  na forma de analisar a configuração espacial das cidades. Continue Lendo “Sintaxe Espacial e A Análise Angular de Segmentos, Parte 1: Conceitos e Medidas”